As causas da constipação que atinge milhares de pessoas pelo mundo.

Quem nunca fez uma viagem e fora do seu “habitat natural”, percebeu que o intestino não funcionou? Nada mais desagradável do que aquela sensação de “barriga inchada” e dificuldade de ir ao banheiro, não é mesmo? Essa situação, além de mexer com nosso organismo afeta também o nosso humor.

Prisão de ventre e intestino preso são os nomes pelos quais a constipação é conhecida. Se a frequência das evacuações for inferior a 3 vezes por semana, por vários meses, e as fezes forem muito ressecadas e escassas  pode ser constipação.

A prisão de ventre é muito frequente e cerca de 20% da população mundial hoje sofre deste mal. As mulheres são mais afetadas do que os homens: 80% dos casos referem-se a elas.

Trata-se da mais comum queixa gastrointestinal observada em consultórios médicos. A prisão de ventre pode ser secundária a um conjunto de causas, entre elas:

– Baixa ingestão de fibras na dieta

– Baixa ingestão de líquidos

– Depressão, estresse, ansiedade, imobilidade, sedentarismo

– Viagens

A maioria dos casos é resolvido por meio da mudança dos hábitos alimentares e de vida. A adoção de dieta rica em fibras (25g/dia), com maior consumo de cereais (trigo, aveia, milho) e vegetais (legumes, verduras e frutas), associada a aumento na ingestão diária de líquidos (2 litros de água/dia) trará impacto sobre a constipação.

Juntamente com as alterações na dieta, é necessário abandonar o sedentarismo e praticar atividades físicas. Recomenda-se o exercício aeróbico por trinta minutos pelo menos três vezes por semana.

A constipação também pode atingir as crianças. Aposte em uma alimentação rica em frutas, legumes, verduras e evite os alimentos industrializados. O importante é sempre oferecer diversas vezes os novos alimentos para os bebês.

Agora que você já sabe como evitar o intestino preso, coloque nossas dicas em prática para ele funcionar como um reloginho.

Leia também